Origem do Terço dos Homens


Breve histórico do terço do homem
Pe.Vandemir O Terço dos Homens Mãe e Rainha é uma iniciativa que cresce sempre mais e traz muitas bênçãos para Schoenstatt e toda a Igreja. Mas, o que realmente é essa iniciativa? Todo grupo de Terço dos Homens é uma iniciativa de Schoenstatt? Para esclarecer essas e outras dúvidas e também para louvar a Mãe de Deus por essa iniciativa entrevistamos o Pe. Vandemir Meister, assessor do Terço dos Homens Mãe e Rainha no regional Sudeste. Vale complementar que as respostas foram também assinadas pelo Pe. Pedro Cabello, assessor no Nordeste.
 Pe. Vandemir, qual é a sua função no Terço dos Homens Mãe Rainha?  - Sou o Assessor do Regional Sudeste do Terço dos Homens Mãe Rainha (THMR), que compreende alguns regionais da CNBB. A assessoria do THMR, no Brasil, também é organizadas por Regionais. Percebe-se que com o Terço dos Homens algo novo está surgindo na Igreja. Fala-nos sobre isso. - Realmente, o Terço dos Homens é uma nova irrupção da graça do Espírito Santo na Igreja do Brasil. O homem rezando o terço é algo novo e interessante. Até então, parecia que esta devoção era uma coisa reservada às mulheres, os homens rotulavam assim, pensando que era uma piedade para as “beatas” da igreja. Deus escreve direito com linhas tortas. Ele suscita esta grande irrupção: o Terço dos Homens, num tempo em que os homens se afastam cada vez mais das coisas de Deus, e, claro, da devoção pessoal a Nossa Senhora. Deus usa o seu velho princípio: as causas segundas! Neste caso, instrumentos humanos, pessoas concretas, para manifestar sua vontade. Deus nos confirma diariamente que era sua vontade era chamar à vida este “movimento”, a historia e fecundidade destes 13 são uma prova. Deus quer que os homens se reúnam para rezar o terço e para que sejam educados pela Mãe e Rainha. O senhor falou que só homens se reúnem para a reza do terço, e as mulheres? - Não somente as mulheres, mas toda a família tem um dia no mês que é aberto para ela. É o chamado o “dia da família”. Nesse dia, toda a família dos homens do terço são convidados para rezar. O homem, por natureza, quando a mulher aparece, acaba deixando para ela tudo o que tem a ver com o mundo da oração. Eu creio que esse novo acontecer é uma graça de Deus, que somente os homens se reúnam para rezar do seu jeito. É a ocasião e momento para que ele desenvolva pessoalmente seu mundo de oração ao seu estilo. E em todo caso, o terço dos homens quer promover a oração em família, que o homem e a mulher aprendam a rezar juntos. O mais importante é que no THMR o homem aprende a desenvolver o jeito masculino de se relacionar com Deus... Como está o crescimento do Terço dos Homens no Brasil? - O Terço do Homens Mãe Rainha cresce cada dia mais. A Mãe de Deus, neste momento, é como um ímã que atrai e convoca. Isso está acontecendo em todas as regiões do Brasil. No Nordeste tem crescido fortemente e a partir de lá se tem expandido para outras regiões. Quando nasceu o Terço dos Homens no Brasil? - O Terço para Homens já é bem antigo no Brasil. Na época da escravidão ele já existia. Eram os escravos que se reuniram com os missionários para rezar o terço. O "Terço dos Homens dos Pretos" é um exemplo disso. Depois, houve grupos isolados de homens que, de quando em quando, se reuniam para rezar o terço. Temos vários exemplos na história da Igreja no Brasil de grupos de homens que se reuniram para rezar o terço. Mas, o novo é a irrupção e expansão missionária do Terço dos Homens Mãe Rainha que surge a partir do Santuário de Schoenstatt, em Olinda/PE Sua resposta é muito interessante e esclarece que nem todo grupo Terço dos Homens é uma iniciativa de Schoenstatt. Conta-nos, então, como e quando nasce o Terço dos Homens no Santuário? - Pe. José Pontes (um Padre de Schoenstatt que trabalha no Paraguai) visitando uma paróquia em Jaboatão, em Pernambuco, deparou-se com um grupo de homens que se reuniam para rezar o terço. Inspirado nessa experiência, ele teve a idéia formar um grupo semelhante no Santuário da Mãe e Rainha, em Olinda/PE. Esse Santuário foi consagrado com um ideal e missão muito atual e exigente: ser um Santuário ao serviço da Nova Evangelização. Pe. Pontes, então, convida alguns homens, que freqüentavam assiduamente o Santuário, para assumir essa idéia evangelizadora e começar a rezar o terço mensalmente. Com a reza do Terço, no santuário, lentamente vão-se inserindo no carisma e na espiritualidade do Movimento Apostólico de Schoenstatt. No mês de maio de 1997, surgiu a idéia rezar o teço semanalmente, pois era o mês de Maria. Os homens assumiram esse propósito, mas não somente este, também uma atitude missionária: fundar o THMR em outras Paróquias (da diocese de Olinda e Recife); pois a experiência que tinham vivido, rezando o terço em comum, tinha produzido entre eles, grandes frutos de transformação. Eles atribuíam essa graça ao Santuário da Mãe e Rainha, que lhes dava força missionária para expandir o THMR. E por que o nome "Terço dos Homens Mãe Rainha"? No início, o nome que identificava esta ação apostólica era Grupo de Oração Terço dos Homens (GOTH’S). Com o crescimento e expansão o nome GOTH”S era identificado com os Grupos de Oração da Renovação Carismática, ao mesmo tempo, o nome GOTH´S não expressava o carisma de Schoenstatt, que os identificava desde o inicio. Santuário da Mãe Rainha - Olinda/PE  Então, acrescenta-se o "Mãe Rainha", justamente para assegurar a fonte de graças, de onde surgiu essa nova irrupção: o Santuário da Mãe Rainha. Durante a realização do Simpósio de Mariologia, em Belém do Pará, na preparação da V Conferência do CELAM e da vinda do Papa Bento XVI a Aparecida, o Assessor Nacional do Terço dos Homens, daquele tempo, junto com o Coordenador Nacional e um dos nossos padres especialistas em Mariologia, fazem uma profunda reflexão sobre a caminhada do Terço dos Homens, sobre a identificação e projeção pastoral. Então, sem perder a originalidade fundante, “rebatizam-no” com o nome de “Terço dos Homens Mãe Rainha”. A partir desse momento deixa de ser chamado de grupo de oração e o nome oficial, registrado em cartório, passa ser: Terço dos Homens Mãe Rainha, com a sigla: THMR. Como o senhor nos explica a existência de vários grupos chamados de “Terço dos Homens” que não usam esse nome oficial? - Sim, existem vários grupos chamados de Terço dos Homens, que nem sabem qual é a origem dessa pastoral. Podemos afirmar que alguns Terços dos Homens de antigamente, surgiram sem uma expansão significativa, outros grupos surgem - sem saber - do modelo THMR. Talvez aqui valha a pena contar um exemplo: visitando uma paróquia em Goiás, o pároco me contou que ele trouxe o terço dos Homens para sua paróquia. Nas férias – em Fortaleza – na sua paróquia de origem, este pároco teve uma experiência vital com o Terço dos Homens. Interessado nesse apostolado - “sui generis" - juntou o material que havia nesse momento e partiu para fundar o Terço dos Homens na sua paróquia. Mas, ele não sabia que o terço da sua paróquia de Fortaleza “era da Mãe Rainha”. Desta ou outra forma surgiram muitos Terços dos Homens. Todos eles têm sua razão de existir, pois neste mundo tão secularizado eles promovem a devoção mariana e a evangelização da família: ótimo! Qual é a função dos Padres de Schoenstatt como Assessores do THMR? - Os Padres de Schoenstatt, assessores, preocupam-se com a assistência espiritual do Terço dos Homens Mãe Rainha - THMR. Cuidamos do seu crescimento, do cultivo da espiritualidade da Mãe e Rainha (Espiritualidade de Schoenstatt), da sua estrutura, material, da formação, dos Encontros Diocesanos, Regionais, Estaduais e Nacionais etc. Diante da CNBB sentimos-nos responsáveis por todos os Terços dos Homens que cultivam a espiritualidade de Schoenstatt. Há algum bispo na CNBB responsável pelo Terço dos Homens? - Sim. A irrupção do serviço pastoral do Terço dos Homens é tão grande que se fez sentir na Igreja. Os bispos vêem neste acontecimento uma nova força evangelizadora dentro da Igreja, a qual não pode ser ignorada. Dom Gil Antonio Moreira, Arcebispo de Juiz de Fora/MG, um grande entusiasta do Terço, assume a grande responsabilidade – de parte da CNBB – de ser o Bispo referencial para todas as expressões do Terço dos Homens. O que quer dizer isso? - Dom Gil tem a missão de motivar e promover, como também representar na CNBB todos os Terços dos Homens, entre eles o THMR. Ele tem a missão de apoiar e incentivar os diferentes carismas e espiritualidades que se expressam no Terço dos Homens, mantendo a originalidade de cada um e a unidade desse grande acontecer na Igreja do Brasil. Uma vez por ano está acontecendo uma Romaria ao Santuário Nacional de Aparecida, já acaba de acontecer a terceira, onde se encontraram todas as expressões do Terço dos Homens. Todos os homens se reúnem “na casa de Maria”. O senhor teve uma conversa com Dom Gil. Pode nos falar sobre isso? - Logo que foi oficializado o nome de Dom Gil como Bispo referencial para o Terço dos Homens, fizemos-lhe uma visita para apresentar-lhe o THMR. Primeiramente, agradecemos-lhe por ter assumido essa missão diante da Igreja no Brasil. Falamos sobre a rica história do nascimento, e expansão do THMR.  Ele ficou muito impressionado quando falamos na quantidade de homens do THMR que reúnem semanalmente nas suas comunidades. Não temos o numero exato de membros, mas a Secretaria Nacional do THMR informou-me que certamente o numero de participantes já ultrapassou um milhão. Como não ficar surpreso? Ele ficou muito contente. Ele pensa em montar uma secretaria junto à CNBB, para dar assistência a todas as espiritualidades que inspiram as varias correntes do Terço dos Homens. Dom Gil é uma benção para o Terço dos Homens. Com esta sua nomeação, o Terço dos Homens ganha um novo “status” e nos confirma na nossa caminhada.
Pe. Vandemir, para encerrar, qual sua mensagem para o Terço dos homens?  - Gostaria de incentivar a todos os Terços dos Homens existentes no nosso país, para que sejam fiéis à sua origem e se empenhem em rezar o Terço com muita devoção, procurando um encontro pessoal de fé com a Mãe de Jesus e nossa Mãe. Que sejam os missionários da nova evangelização, propagando esta devoção na Igreja do Brasil, que a partir do Documento de Aparecida convoca-nos a uma “missão continental” e a vivermos em “estado permanente de missão”. Agradecemos ao Pe. Vandemir e lembramos que há um manual para o Terço dos Homens Mãe Rainha, que pode ser encontrado em todos os centros de Schoenstatt, no qual estão todas as diretrizes para essa bela inciativa.